2007/02/09

Crianças portuguesas em números aterradores



Muito se fala e argumenta agora, ainda mais com o referendo à porta, sobre a alteração à lei do aborto. Disseram-se muitas asneiras e barbaridades, tanto de um lado como do outro e, por "sede" de esclarecimento andei a pesquisar sobre o assunto. O que encontrei foram números assustadores mas não sobre o que procurava! Os números e estatísticas que encontrei, em centenas de páginas, são sobre as crianças e jovens portugueses. Mas passemos aos números:

Em 1998 existiam 43077 trabalhadores menores em Portugal. Destes, 9013 eram crianças sem filiação ao empregador e 17,6% do total tinham menos de 15 anos. Em 2001 este número, já de si assustador, cresceu para 46716 trabalhadoes menores. 6715 continuavam a ser crianças sem filiação ao empregador.

No ano de 2002 foram dadas como desaparecidas 700 crianças no território português.

Segundo um estudo de 1993, surgiam 30 a 40 mil novos casos de crianças mal tratadas por ano em Portugal. Um estudo de 2001 dizia que 65% das situações de maus tratos eram infligidos pelos progenitores. Em 2003, só em Lisboa, Porto e Coimbra registaram-se 414 casos de maus tratos a menores e 589 casos de abuso sexual a menores. Em 2005 cerca de 23000 crianças foram consideradas em situação de risco por maus tratos e agressões fisicas, psicológicas e sexuais (1134). Em média morreram 66 crianças por maus tratos e negligência. No mesmo ano, eram contabilizadas 69000 crianças em risco por pobreza e exclusão social. Só no primeiro trimestre de 2006, 100 crianças foram vitimas de maus tratos, dando uma média de 1,1 criança por dia.

Em 2003 registaram-se 18 mortes de crianças por afogamento, dessas, 7 tinham menos de 4 anos. No ano seguinte, registaram-se mais 13 mortes de crianças por afogamento. Já em 2006 registaram-se mais 15 casos, dos quais 80% forram letais. 33% destas mortes ocorreram em tanques.

De 1983 a 2006, 110 crianças até aos 14 anos foram infectadas com o virús da sida no nosso país.

Entre os anos de 2002 e 2003, foram registados 10 casos de suicidio em crianças e jovens portugueses, com idades compreendidas entre os 10 e os 14 anos. Na faixa dos 15 aos 19 anos foram 54 casos.

No ano de 2004 foram registados 1682 casos de delinquência juvenil no país inteiro. No ano seguinte, foram detectados 10 casos de tráfico de armas por jovens, envolvendo crianças com 11 anos. Ainda no ano de 2005, foram registados 34 casos de tráfico de estupefacientes concretizados por menores. Também em 2005, 1500 crianças menores de 16 anos praticaram crimes. Só nos últimos 5 anos, 328 crianças consumiram estupefacientes e 224 menores consumiram alcoól.

Em 2005 apenas 14,7% dos alunos concluiu a escolaridade obrigatória.

No ano de 2000 pensa-se terem existiam cerca de 900 crianças no nosso país, com idades dos 6 aos 14 anos, envolvidas na prostituição na periferia das grandes cidades. Em 2002 e 2003 foram registados 66 casos de prostituição infantil.

No ano de 2003 já existiam na internet 51 sites portugueses de pornografia infantil e, estima-se que 8 em cada 10 crianças já se tenha deparado com um, pelo menos uma vez.

Em 2005 existiam cerca de 16000 crianças em instituições, perfazendo cerca de 1,5% da população.


Talvez terminado o referendo, se possa também repensar estes números.






1 comentário:

pedropina disse...

estou em estado de choque