2009/02/05

Isto está muito mau...

A minha nova realidade é a mesma de muitos portugueses com a minha idade: a falta de emprego/trabalho, o trabalho precário a recibos verdes e a exploração exercida pelos patrões, pois cá fora está muito mau e há que baixar a cabeça. Numa das minhas buscas sobre o tema em que tentava saber como andava a questão dos recibos verdes (que são azuis), deparei-me com esta crónica:
http://quiosque.aeiou.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ae.stories/4932&sid=ae.sections/4

A todos os interessados, a todos os que se fartaram de ouvir dizer que a nossa geração é inutil, a tal apelidada de rasca, dêem uma vista de olhos. Não custa nada.

voltei!

Já há muito tempo que não aparecia por cá... a vida dá voltas. Deixei de estudar, fiquei sem internet e depois de muitas peripécias e pedras no caminho, algumas tristes de mais para serem lembradas, engravidei. É sem dúvida alguma a maior alegria que tenho na vida, o meu filhote de seis meses e meio que, me toma tanto tempo que quase não tenho tempo para mim. Mas já cá estou de novo e agora para continuar. Por isso aqui fica já qualquer coisa para aguçar...

video

...e como bonus cá fica mais uma.

http://www.youtube.com/watch?v=Ij6RmoNrKG0

2007/07/27

"QUANTO MAIS CONHEÇO A HUMANIDADE MAIS GOSTO DOS ANIMAIS"

Há coisas que me deixam profundamente triste e enraivecida com a humanidade, mas o povo português consegue surpreender-me bastante pela negativa. Abrimos um jornal ou ligamos uma televisão e vemos nada mais do que a intolerância e a estupidez das pessoas. Não consigo compreender o que determinados grupos, raças ou pessoas, têm de tão ameaçador que levem outras a tomar as atitudes absurdas que tomam. É o ódio pelo ódio, a repulsa do que é diferente, a marginalização do que é estranho, só por ser estranho! O que leva uma pessoa supostamente com uma mente sã, sentir-se incomodada por outra que simplesmente é diferente dela? É a diferença que nos torna únicos, e como consequência seres complexos, interessantes e autênticos!
Porque temos nós que renegar a diferença, sermos intolerantes e discriminatórios? Discriminam-se as mulheres divorciadas, as mulheres agredidas, as com filhos fora do casamento, as mulheres em geral... descriminam-se os deficientes físicos, os deficientes mentais, os pretos, os amarelos e os vermelhos. Discriminam-se os homossexuais, os bi-sexuais, os metro-sexuais, os ciganos, os idosos, os mendigos, os analfabetos, os doentes terminais, os portadores de doenças infecciosas, os que praticam outras religiões, os vegetarianos, os pobres e tantos outros. Como podemos respeitarmo-nos a nós mesmos, ou se quer exigir respeito, se não respeitamos os outros e as diferenças que nos separam? A minha fé na raça humana é cada vez menor.
Para mim, a mente humana colectiva transformou-se numa pocilga de pensamentos fétidos e estagnados que há muito necessita de uma limpeza.

2007/02/09

Animais nossos amigos?

Se uma imagem vale mais do que mil palavras, então eu tenho mil palavras para mostrar. Se um número pode ser sagrado, então estes são lei.



São mortos 125 arminhos, 100 chinchilas, 70 martas, 30 ratos almiscarados, 30 coelhos, 27 guaxinins, 17 texugos, 14 lontras, 11 rapousas, 11 linces ou 9 castores, para se fazer um casaco de peles médio.

Estima-se que em 2005 existiam 10 milhões de animais abandonados. São mais de 35000 os animais usados em testes na UE. Cerca de 50milhões de animais são mortos todos os anos desta forma em todo o mundo.



Os animais atropelados nas estradas portuguesas variam entre os 139 mil e os 262 mil por ano, abrangendo 61 espécies, 40 delas aves. Cerca de 5000 corujas são atropeladas todos os anos.

Aproveito para pedir desculpa pelo conteudo das imagens que selecionei, mas contra factos não há argumentos... Sem mais demoras, aqui ficam os links de interesse:

http://www.apca.org.pt/

http://www.projectojava.blogspot.com/

http://www.encontra-me.org/

http://www.lpda.pt/

http://www.sosanimal.com/

http://www.uniaozoofila.org/

Crianças portuguesas em números aterradores



Muito se fala e argumenta agora, ainda mais com o referendo à porta, sobre a alteração à lei do aborto. Disseram-se muitas asneiras e barbaridades, tanto de um lado como do outro e, por "sede" de esclarecimento andei a pesquisar sobre o assunto. O que encontrei foram números assustadores mas não sobre o que procurava! Os números e estatísticas que encontrei, em centenas de páginas, são sobre as crianças e jovens portugueses. Mas passemos aos números:

Em 1998 existiam 43077 trabalhadores menores em Portugal. Destes, 9013 eram crianças sem filiação ao empregador e 17,6% do total tinham menos de 15 anos. Em 2001 este número, já de si assustador, cresceu para 46716 trabalhadoes menores. 6715 continuavam a ser crianças sem filiação ao empregador.

No ano de 2002 foram dadas como desaparecidas 700 crianças no território português.

Segundo um estudo de 1993, surgiam 30 a 40 mil novos casos de crianças mal tratadas por ano em Portugal. Um estudo de 2001 dizia que 65% das situações de maus tratos eram infligidos pelos progenitores. Em 2003, só em Lisboa, Porto e Coimbra registaram-se 414 casos de maus tratos a menores e 589 casos de abuso sexual a menores. Em 2005 cerca de 23000 crianças foram consideradas em situação de risco por maus tratos e agressões fisicas, psicológicas e sexuais (1134). Em média morreram 66 crianças por maus tratos e negligência. No mesmo ano, eram contabilizadas 69000 crianças em risco por pobreza e exclusão social. Só no primeiro trimestre de 2006, 100 crianças foram vitimas de maus tratos, dando uma média de 1,1 criança por dia.

Em 2003 registaram-se 18 mortes de crianças por afogamento, dessas, 7 tinham menos de 4 anos. No ano seguinte, registaram-se mais 13 mortes de crianças por afogamento. Já em 2006 registaram-se mais 15 casos, dos quais 80% forram letais. 33% destas mortes ocorreram em tanques.

De 1983 a 2006, 110 crianças até aos 14 anos foram infectadas com o virús da sida no nosso país.

Entre os anos de 2002 e 2003, foram registados 10 casos de suicidio em crianças e jovens portugueses, com idades compreendidas entre os 10 e os 14 anos. Na faixa dos 15 aos 19 anos foram 54 casos.

No ano de 2004 foram registados 1682 casos de delinquência juvenil no país inteiro. No ano seguinte, foram detectados 10 casos de tráfico de armas por jovens, envolvendo crianças com 11 anos. Ainda no ano de 2005, foram registados 34 casos de tráfico de estupefacientes concretizados por menores. Também em 2005, 1500 crianças menores de 16 anos praticaram crimes. Só nos últimos 5 anos, 328 crianças consumiram estupefacientes e 224 menores consumiram alcoól.

Em 2005 apenas 14,7% dos alunos concluiu a escolaridade obrigatória.

No ano de 2000 pensa-se terem existiam cerca de 900 crianças no nosso país, com idades dos 6 aos 14 anos, envolvidas na prostituição na periferia das grandes cidades. Em 2002 e 2003 foram registados 66 casos de prostituição infantil.

No ano de 2003 já existiam na internet 51 sites portugueses de pornografia infantil e, estima-se que 8 em cada 10 crianças já se tenha deparado com um, pelo menos uma vez.

Em 2005 existiam cerca de 16000 crianças em instituições, perfazendo cerca de 1,5% da população.


Talvez terminado o referendo, se possa também repensar estes números.






2007/02/03

O estado da nação


Pergunta: O que acha do estado do país actualmente e, como acha que vai ser o futuro da nação portuguesa daqui para a frente?O que nos responderiam as figuras publicas se lhe fizessemos esta pergunta? Qual a sua reacção? Pus-me a divagar...

"Para ultrapassar a crisa falta-nos um bocadinho assim..."

"Huuuummmmmmm..."

"Sinceramente... não sei se a minha resposta lhes agrada ouvir."

"Hey Bill, were in God's name is this country?"

"Isso agora... é um caso bicudo."

"Ai meu Deus..."

"Desculpe! Será que ouvi bem?"

"Ppppprrrrrrroooooowwwwwww!"

Povo único




Há aqueles que pensam que o povo português é estupido, outros que é mal informado, outros que acham que lhes falta educação e, ainda outros que acham que são espitiruosos. Não vou aqui discutir nada disso. Para mim o povo português é simplesmente único. Há cá coisas do camandro...

2007/02/01

Bush e mais Bush


Pois é, parece que o Presidente Bush está numa demanda só dele, pois o resto do mundo ainda está a tentar perceber ao certo o que ele anda a fazer. Depois de se ter metido com os Iraquianos, os Chineses, os Coreanos e os Afegãos, agora parece ser a vez dos Iranianos novamente. Com a dificuldade que tem em dizer uma frase correcta, o sindrome de inferioridade, a mania da perseguição, as birras e o facto de se meter no que não lhe diz respeito, faz-me lembrar aqueles putos que passam a vida a bater nos outros durante o recreio por alegada falta de atenção.


E que treta é aquela de "God is on our side!" Deus! Deus, se existe, está a ver o Donas de casa desesperadas, porque de certeza que não está a prestar atenção ao que este homem anda a fazer. No fim, é o povo americano quem vai sofrer as consequências de tudo isto. Por um lado, existem aqueles que são contra as politicas de Bush mas que já estão a ser marginalizados, tal como os muçulmanos, pois a aversão aos americanos está a generalizar-se e a ganhar raizes entre os restantes povos do mundo. Por outro lado, aqueles que apoiam as suas ideias estão a fazer justiça pelas próprias mãos e estão a suscitar ódios e revoltas. No fim, a maioria do povo americano está tão cego quanto o seu lider e, não se apercebe como o resto do mundo os vê.




Aos americanos, e aos seus governantes, se pudesse diria-lhes apenas isto: cuidado, estão a enveredar pelo mesmo caminho que os alemães, que se deixaram envenenar por um lider baixo, atarracado, com um bigode ridiculo e com a mania da perseguição!








2007/01/31

Mania das grandezas

Cada vez mais me convenço que somos um país pobre com a mania das grandezas. Há dois dias, folhiava eu o jornal placidamente enquanto sorvia o meu muito merecido café, quando reparei numa noticia que para mim é tanto reveladora como perturbadora. A noticia fazia referência aos gastos dos nossos excelentissímos deputados, patrocinados por nós contribuintes, das viagens efectuadas durante o ano de 2006. Segundo o Correio da Manhã, esse valor corresponde a 16% do orçamento de estado para transporte e alojamento, o que traduzido dá 291 mil euros! 291 mil euros?! Este foi o preço que pagámos para 10 dos nossos deputados fazerem 115 viajens ao estranjeiro! E para quê, pergunto eu? Porquê? E será necessário um gasto tão elevado? No artigo não encontrei nenhuma resposta satisfatória às minhas questões. Mas parece que é de acordo que toda a gente tenta justificar esta verba como sendo necessária, pois segundo parece, é necessário para os interesses do país. Quais, pergunto eu? E se é para tratar de assuntos que dizem respeito ao país no estranjeiro, então gostaria de saber para que raio existem os diplomatas? Para que temos nós eurodeputados? Não é também para isso que eles servem?

De tudo isto só sei que muito mais se podia fazer com 291 mil euros, chegando mesmo a tornar este assunto absurdo, por exemplo, poderiamos: distribuir 1 .455.000 pães por pessoas necessitadas, mandar 11.640 vacinas para combater a lepra em África, contribuir com 363.750 sacos de arroz para o banco alimentar, equipar no minimo 150 salas de aulas, distribuir 19.400 sacas de ração de 15 Kg a canis para animais abandonados, reflorestar uma área plantando 19.100 árvores, pagar 722 subsidios de desemprego.
E tu? Como contribuirias com 291.000 euros? Fico à espera de sugestões.



2007/01/30

Haja paciência

Por razões que a própria razão desconhece, este espaço encontra-se ainda em manutenção e fase de acabamento. O chefe de departamente manda dizer: "seremos breves!"
A gerência agradece a compreensão e paciência de vossas excelências.